Nos últimos dias tenho recebido vários e-mails de dirigentes de instituições que entenderam contactar-me, ora para manifestarem a opinião sobre o site e algumas das notas que tenho publicado, ora para partilharem informação sobre projectos das suas instituições. Um desses e-mails foi o da (Fundação ADFP), dando-me conta de que iniciou um projecto de cooperação com a associação nacional guineense de pessoas com deficiência motora ou neurológica, UNDEMOV, com o apoio do governo guineense.

Segundo me informa o seu presidente, o médico Jaime Ramos, o projecto passa por formar líderes na área da integração de pessoas com deficiência, criando condições para receberem formação profissional e cívica no nosso país, de modo a adquirirem competências que lhes permitam desenvolver iniciativas de sustentabilidade e produção na Guiné Bissau que retirem outros guineenses da pobreza extrema e contribuam para o desenvolvimento local.

No passado dia 21 já chegaram a Portugal os primeiros cinco formandos com deficiência, que a ADFP espera transformar em agentes locais de desenvolvimento, uma vez concluída a formação.

Esta é uma iniciativa de louvar. Aposta na formação como factor-chave contra a pobreza, procurando que as pessoas aprendam a desempenhar um papel que lhes garanta rendimentos mínimos e ocupações dignas. Está portanto de parabéns a ADFP por esta iniciativa.

 

A Misericórdia da Canha
Cooperação no sector social