No dia 20 de Abril dediquei-lhe uma primeira nota, então a respeito da sua candidatura à presidência do Internacional Council of Museums – ICOM Europa. Hoje, no dia em que foi eleito, com uma diferença de 10 votos em relação a Bernard Blache, do ICOM – França, seu rival, em Milão, na Itália, é com grande felicidade que lhe dedico a segunda, lembrando de que se trata do primeiro português a presidir àquela que é a maior entidade internacional do sector, com estatuto consultivo no âmbito das Nações Unidas. 

Arqueólogo, professor convidado da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, membro do Conselho Consultivo da Comissão Nacional Portuguesa da UNESCO, ex-diretor do Museu Nacional de Arqueologia e vice-presidente da Associação dos Arqueólogos Portugueses, Luís Raposo promete agora centrar a sua atenção na organização de duas conferências anuais do ICOM Europa, em diferentes países, sobre temas de actualidade como o conceito de museu nacional, as fusões de museus e os novos modelos e gestão dos museus, entre outros. 

Como seu amigo e como português, orgulhoso que me sinto com a sua eleição, desejo-lhe as maiores felicidades, na certeza de que fará um muito digno mandato.

'Timeline' de Carlos Sargedas
O crowdfunding como caminho